Cotações

    ***** = Obra-prima
    **** = Ótimo
    *** = Bom
    ** = Fraco
    * = Turkey

Outros sites

Histórico

Assine o RSS


O que é isto?

mentiras e verdades em 24 fotogramas ou 29 frames por segundo!

Quando filmes te derrubam por nada. Estar a flor da pele te dá resultados estranhos...Demais até. Quando vejo filmes o que mais me chama atenção são as partes sensíveis e isso acaba comigo aos poucos. De uns tempos para cá uma porrada de filmes que vejo e que me traz alguma lembrança ou algum carisma para minha vida.

O primeiro de todos de uns tempos para cá, que veio copmo rolo compressor e passou por cima de mim foi "O Desprezo" do Godard. Veio sem dó nem piedade. A liberdade do roteirista depois de perder sua mulher e a liberdade de Fritz Lang para dirigir o que não se deveria fazer filme: Homero - A Odisséia.

Além da relação delicada entre o roteirista e sua mulher interpretada por Brigitte Bardot, tem a beleza sutil de ver Fritz Lang andando depois da projeção e limpando sua lente!Ou até mesmo meu último texto que ressalta no filme Pick Pocket os rostinhos colados pela grade.Ou o filme "A Princesa e o Guerreiro" de Tom Tykwer em que Franca Potente é salva por um assaltante a base de traqueostomia e sai procurando ele pelo botão da camisa que ficou com ela...quase um conto de fadas. Quando o encontra ele a explusa jogando-a embaixo de chuva na lama.

Foram outros aqui que poderia passar horas a fio digitando e citando, mas como meu intuito é mostrar a diferença de tipos de filmes e seu ponto em comum que me acerta, vou pular uma fase.

NO filme que vi na sessão dupla do Comodoro, Santa Sangre de Alejandro Jodorowski, o garotinho chamado Fênix passa boa parte de sua infância namorando uma mudinha que é filha da mulher tatuada. Esta mudinha é uma das malabaristas que apanha da mãe e passa o tempo inteiro com o rosto pintado de branco chamada Alma.

Durante toda jornada do jovem Fênix, somente no final que a mudinha encontra onde ele mora e ele não está lá...Está enterrando mais uma vítima que seus braços controlados pela mãe que não tem braço assassina.

Ao voltar ele encontra ela e pelo passado do amor não realizado ele vence a si mesmo e vai fugir com ela. Quando é rendido pela polícia, ele levanta as mãos para o céu e chora feliz:

"São Minhas mãos!"

Quando ee luta consigo para não machucar Alma, ela não resiste, apenas abre os braços! As cenas são muito bonitas. Depois que li que Mel Gibson se projetou por quadros para formalizar os planos do filme "A Paixão de Cristo" notei que muitos planos poderiam virar quadro para meu quarto.


Escrito por Vebis às 13h47 [] [envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]