Cotações

    ***** = Obra-prima
    **** = Ótimo
    *** = Bom
    ** = Fraco
    * = Turkey

Outros sites

Histórico

Assine o RSS


O que é isto?

mentiras e verdades em 24 fotogramas ou 29 frames por segundo!

Quando novas facetas se tornam tiro no escuro certeiro

Lembro-me de especulações de amigos que assistiam ao Jô Soares e diziam que a maioria das bandas e grupos entre outros convidados bizarros eram puro jabá. Não sei se é verdade, apesar de desconfiar. O mesmo ocorre com outra corrente de pensamento quando vejo gente meio que falida tentando a sorte no programa, como malabaristas, escritores de temas doloridos entre outros.
Mas ontem, pela primeira vez me vi apegado por uma personalidade ímpar que pelo jeito conta com ajudas gente de novela (Glória Perez, Jayme Monjardim, entre outros que contaram com sua linda voz e danças) que certamente viu nela a capacidade multifacial nas artes de peso com sua presença em voz, jeito desinibido, segurança no que faz e com bagagem de caminhada que cheguei a me lembrar de Virgínia Nowik.

A beldade me fez estatelar os olhos pela figura corpulenta feminina que aparentemente nos traz seus quase dois metros de belas pernas e que foi seguido de cantos e um jeito livre frente as câmeras que pouca gente tem. Sem sombra de dúvidas, isso é dom para poucos.


Aqui uma foto da cantora que também faz dança do ventre e imitações.


O nome desta beldade é Marina Elali. Isso até me ajudou a repensar vários conceitos, como de que uma vez o mestre Carlão Reichenbach pelo seu amor ao cinema de repertório popular, disse a uns amigos que se lhe caísse em mãos projeto de gravar a vida da Kelly Key com seus devidos incentivos para uma produção, gravaria com prazer e dedicação, ou algo parecido com isso. Mas se foi algo perto disso, afirmo agora entender o que ele quis dizer, porém falo de alguém com certa bagagem cultural e vivência que uma Kelly Key não teve. Me agradaria escrever editais para concorrer de alguma maneira de ter um mulherão destes atuando para um filme.
Como João Miguel não pôde por pouco estar no meu filme de gravação atual (Nas Duas Almas), quem sabe para o meu projeto de romance entre funcionários do IML isso possa funcionar, contando com Marina Elali e João Miguel, ambos com o sotaque de nordeste?
Até me permito a sonhar, ou parafraseando Gabriel Garcia Marques, me alugo para sonhar acordado!



Segue abaixo o material audiovisual que me fez cair babando pela atuação livre, pois entrevista apenas é que não foi.






Escrito por el cabrón de la pelicula às 01h22 [] [envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]