Cotações

    ***** = Obra-prima
    **** = Ótimo
    *** = Bom
    ** = Fraco
    * = Turkey

Outros sites

Histórico

Assine o RSS


O que é isto?

mentiras e verdades em 24 fotogramas ou 29 frames por segundo!

A greve que não é de Eisenstein Por EFE

Roteiristas e produtoras de TV em Hollywood entraram em negociação ontem para tentar evitar uma greve que pode deixar as redes de televisão sem novos episódios dos seriados mais populares e provocar prejuízos de centenas de milhões de dólares.

A última greve de roteiristas aconteceu em 1988 e causou mais de US$ 500 milhões em prejuízos para os principais canais da TV americana, que dependem da audiência com novos episódios para gerar receita publicitária.

Os roteiristas consideram que as produtoras não estão pagando o suficiente pela pela venda dos DVDs dos seriados e pelas transmissões de episódios via internet, mas as emissoras alegam que as reivindicações são "inalcançáveis" para a realidade financeira do setor.

Segundo a Alliance of Motion Picture and Television Producers (AMPTP), entre 85% e 90% dos seriados produzidos fracassam antes de serem distribuídos em outros canais. O déficit médio durante a primeira temporada de um seriado de uma hora é de US$ 26,4 milhões.

A AMPTP disse por comunicado que não ignora "as dificuldades da realidade econômica de hoje em dia, as mudanças nos gostos da audiência e seus hábitos assim como o fator imprevisível da tecnologia em evolução".

A entidade das produtoras afirmou querer "um acordo justo, razoável e sensato que seja benéfico para todos". Mas acrescentou que não aceitará "nenhuma proposta que imponha restrições não razoáveis ou custos injustificados".

Já a associação dos roteiristas disse que não tinha havido "nenhum progresso significativo" até agora.

A WGA convocou seus afiliados para uma reunião em Los Angeles nesta quinta-feira. Apesar do prazo para o início greve ter acabado à meia-noite de ontem, o sindicato pode decidir não convocar greve imediatamente, dependendo do andamento das negociações.

Uma greve de roteiristas deixaria sem continuação seriados tão populares quanto "CSI" e "Law & Order". As produtoras têm episódios novos destas séries suficientes para manter a audiência até o final do ano.

Os efeitos da possível greve só começariam a ser sentidos no início de 2008, para quando está programada a filmagem dos episódios que os escritores devem redigir nas próximas semanas.
Escrito por el cabrón de la pelicula às 12h22 [] [envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]