Cotações

    ***** = Obra-prima
    **** = Ótimo
    *** = Bom
    ** = Fraco
    * = Turkey

Outros sites

Histórico

Assine o RSS


O que é isto?

mentiras e verdades em 24 fotogramas ou 29 frames por segundo!

2008 - Los mejores êxitos

Para movimentar esta josta de blog que abandono sempre, vale fazer uma listinha de melhores do ano. Porém a minha lista tem filmes vistos em 2008 e não filmes lançados em 2008, como foi o exemplo de amigos da liga dos blogues que consideram "Não Estou lá" ou até "Senhores do Crime" deste ano em suas votações.

 

Este ano, coloco pouco dos filmes que vi, pois com o preço de cinema, acabei mais mesmo baixando coisas velhas que queria do que ver lançamentos. Fora que este ano, o superestimado Batman - Cavaleiro das trevas, que mesmo sendo um filme bom e mediano, teve em seus fãs um ponto de irritação pra mim. Até acreditei que um pouco mais, se uniriam os fãs de Nolan junto aos fãs desenganados de Batman, colocariam máscaras e sairiam espancando todo mundo pela cidade que não tenha curtido o filme. Lastimável isso!

 

Isso me obriga a renovar meu blog com as descobertas baixadas. Vamos a lista das coisas vistas neste ano por ordem crescente:

 

1 - Deixa ela entrar - de Tomas Alfredson - Romance meiodown de dois adolescentes em que ele descobre que ela é vampira. Scope com planos excelentes, questões delicadas como pedofilia de maneira muito sutil. Excelente filme. Nem quero comentar muito, pois ainda vai estrear!

 

 

2 - Diário dos Mortos de George Romero - Era pra ser o melhor filme do ano. Romero soube se aproveitar da linguagem vídeo e se colocar comseu universo neste tipo de mídia. Por isso é gênio. Os primeiros lugares não tem muito que divagar, apenas colocar e recomendar aos amigos que vejam.

 

 

3 - Encarnação do Demônio de José Mojica Marins - de longe omelhor filme nacional do ano. Corajoso, perturbador e traz tudo aquilo que sempre ouvia do Argento (o velho passou parado um tempo, mas tá mandando bem), mas de maneira mais pungente e cinéfila.

 

 

4 - Falsa Loura de Carlos Reichenbach - Um filme quase musical emque sinto muito o cheiro do projeto "Garotas do ABC" sacando em cada personagem, as essências do filme oriundo do universo das operárias e suas paixões. O final espetacular com slow me deixou de boca aberta. Cauã que eu não acreditava que mandaria bem também me calou a boca.

 

 

5- Trovão Tropical de Ben Stiller - Fui ver o filme sem saber do que se tratava e sem saber do boicote que sofria. Se "Signo do Caos" é um antifilme da cinematografia nacional recente, este o é para o cinema americano. Praticamente uma maneira espetacular de denuncia ao modo desbunde de cinema, estrelismos e olhares viciados do público, bem como a retratação da mídia de entretenimento. Vai ver por isso que sofreu represália, pela função metralhadora giratória mode on!

 

 

 

6 - WALL-E de Andrew Stanton - Até então, Monstros S/A tinha sido minha animação número um pelaapresentação não apenas do personagem que geraria merchan, mas como também um universo onde o personagem se desenvolve. WALL-E tem isso e o trunfo é o filme ser quase que pela metade mudo.  Sensacional, além da sensibilidade carregada sem parecer piegas.

 

7 - Hellboy 2 de Guilhermo Del Toro - Acho que fica em setimo lugar na lista, apesar de que foi o filme que mais aguardei neste ano. Achei o melhor filme de herói, além do melhor filme de ação. Bem mais preciso na ação que o primeiro, além de uma apresentação de mais criaturas bem ao estilo H P Lovecraft. Fica em sétimo porque os anteriores me surpreenderam.

 

8 - Homem de Ferro - de John Favreau - Sem sombra de dúvida um dos filmes de heróis mais fiéis que já vi na vida. A maioria dos filmes tem umefeito na qual todos querem ver o herói em ação. A escolha da bolachinha da vez do Robert Downey Jr pra alter ego foi perfeita. Todos querem o stark na tela. Fica depois de Hellboy porque o diabo católico é o meu herói mais querido nos cinemas atualmente. Homem de ferro deveria deixar Batman a ver navios. Uma pena que não rolou.

 

9 - Antes que o Diabo Saiba que você está morto de Sidney Lumet - Como pôde um velhão daqueles fazer um filme naquela estética, naquela montagem e com um elenco mandando bem daqueles? Não apenas por ter me surpreendido, mas o filme além de excelente, é um triller familiar irreverente com um final muito mais corajoso do que qualquer outro filme que quer fazer finaizinhos com clímax pra encerramento.

 

10 - Vicky Cristina Barcelona de Woody Allen - Creio que de todos desta nova safra de filmes que viajam pela Europa, este foi um dos mais interessantes, apesar de menor em comparação com os anteriores. Extremamente literário, parece um quebra cabeça que se encaixa aos outros filmes do diretor, contando com um corpo de atores surpreendente. Neste, foi a primeira vez que não vi um personagem alter ego e falastrão.

 

11 - O incrível Hulk de Louis Leterrier - Achava que seria mais um filme tentativa de agradar aos fãs de quadrinhos. Mas o diretor mostrou um caminho novo para ação, personagens e desenvolvimento e mise en scene. Acho inferior ao filme do Ang Lee, mas preciso na ação.

 

12 - O Nevoeiro de Frank Darabont - Um filme na qual quando o vi pela primeira vez, achei que tinha sido o mais fraco do Darabont. Porém, com o passar do tempo e diluição mental, mais uma revisão, mostra-se um tipo de filme que não é feito mais, além de um espírito de Stephen King old school, apesar de que eu não sei se esta obra literária é nova ou antiga. Porém, no cinema, a força das imagens torna o filme poderoso.

 

13 - Indiana Jones e o reino da caveira de cristal de Steven Spielberg - Quando li nas listas um bando de amigos descendo o sarrafo no filme, desconfiei que pudesse ser a grande decepção do ano. Mas muita gente tá ligado em sensação nostálgica. Todos elementos que me conquistou no cinema nas décadas passadas permaneciam ali, um pouco mais preguiçosas devido ao amor pelo fundo verde que Lucas tem, mas intactas pela sua natureza. Ver Indy vagando pelas referências de outras obras de Lucas/Spielberg como American Graffitti, THX, Star Wars me traz de maneira pessoal uma grande satisfação.

 

14 - Fim dos Tempos de M. Night Shyamalan - Por mais que seja o filme mais fraco e barato do Shyamalan, o maldito diretor pelo jeito mostrou que com mais precariedade ainda sua precisão de trabalhar o impacto pictórico. Não existe nada demais de efeito, ao contrário do filme anterior comentado, mas na evidência que o cinema trabalha, tudo ali funciona bem no intuito de assustar pela presença do mal. Nos filmes anteriores do Indiano, o mal acomedia sempre umgrupo menor de pessoas, e o que sabíamos do mundo, era por imprensa. Neste, como ele bota frente as câmeras o mal atingindo o mundo, não perdeu a classe. A cena em que Leguizamo fura o pulso com os cacos de vidro, ou pessoas se enfiando embaixo de trator causa um medo que pouco se trabalha no cinema.

 

15 - A vida é dura, a história de Dewey Cox de Jake Kasdan - O número de comédias rasgadas tem aumentado, para meu bel prazer. Parecia que as comédias, mesmo as American Pie tinha uma sacanagem vista penas na imagem, mas nao assumida nos diálogos. Porém, Apatow companhia e seus acesdentes e novos seguidores tem trabalhado isso de maneira a renovar a comédia e neste filme em especial, além de comédia, as referências a outros filmes e ídolos musicais. Passou batido aqui e saiu direto pra DVD.

 

16 - Segurando as pontas de David Gordon Green - Mais uma comédia que por algum sensor, acabará saindo direto pra DVD. O trailer não se mostrava muito atrativo, mas ao conferi-lo na mostra BR, achei uma das comédias "policiais" mais bem esquematizadas em roteiro e atores que as vezes por falarem sem parar, seguram o filme com a excelente direção de Gordon Green. Anti convencional porque a certos momentos do filme, no arrependimento de personagens que ameaçam cair na pieguice, acionam o foda-se a tomam novo rumo jamais visto nas situações desencadeadas pelos protagonistas.

 

17 - Leonera de Pablo Trapero - Não sei o que acontece como Brasil que sinto os filmes menos honestos principalmente quando vejo um certo oportunismo de majors. Na Argentina, principalmente pelo Trapero, os filmes tem questões muito mais ligadas ao território nacional. E em todos os filmes de Trapero sinto a honestidade necessária que aprendi para se fazer filmes. Leonera tem muito mais honestidade no filho separado do que em Camila Morgado no Olga. MAs também, comparar Trapero ao Monjardin foi covardia minha...assumo!

 

18 - Na natureza Selvagem de Sean Penn - O mais fraco de Sean Penn, porém, não menos brilhante. Sinto neste filme, algo em que Sean Penn sempre buscou nos seus filmes, algo como os personagens precisarem de um momento introspectivo, porém, não cabia no filme. E neste, apesar de propício pela proposta, também não cabe. Os momentos mais fracos do filme, surgem na solidão do personagem. As convivências com as pessoas que ele encontra pelo caminho são o que torna o filme mais forte. Principalmente na sequeência como Vince Vaughn.

 

 

19 – Sangue Negro de Paul Thomas Anderson – Achei até que tivesse colocado ele na lista do ano passado. Mas acabei vendo-o neste ano mesmo nos cinemas. Paul Thomas dificilmente me decepciona, e ao consultar as listas de amigos, percebi que dificilmente decepciona a lista de qualquer um e neste filme, notei que até os que mais torcem o nariz pra ele, deu o braço a torcer para elogiar esta obra feita aos moldes pra agradar a academia, tendo sua marca perturbadora, principalmente a perturbação kubrickiana na maneira de acabar o filme.

 

20 – A Espiã de Paul Verhoeven – Outro diretor que junto a Abel Ferrara, tem um grupo seleto de meus diretores sujos favoritos. Sabem como fazer filmes baratos com proporções fenomenais, porém, quando voltam às raízes, criam obras estupendas. A espiã no caso transitava em território da resistência e nazista, com uma premissa desta, lixos parciais poderiam ferrar com tudo, mas o diretor sabe balancear os dois lados, mostrando até um nazista apaixonado e humanista. Exemplo patético este, mas é só um mero detalhe num filme que vale várias revisões.

 


Escrito por el cabrón de la pelicula às 18h16 [] [envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]