Cotações

    ***** = Obra-prima
    **** = Ótimo
    *** = Bom
    ** = Fraco
    * = Turkey

Outros sites

Histórico

Assine o RSS


O que é isto?

mentiras e verdades em 24 fotogramas ou 29 frames por segundo!

mantendo a fé alheia

Alguns filmes numa releitura decaem muito. Notei isso ao ler o blog do Alpendre comentando do "Amantes do Circulo Polar" do Julio Medem e ao ler, temi desgostar do filme e acabei nem assistindo quando finalmente consegui baixar.

Pra minha sorte alguns filmes na releitura podem não se revelar uma obra prima, mas traz à tona algumas questões mais pessoais. O filme dirigido pelo Edward Norton, "Tenha fé" traz pelo menos pequenas questões existenciais que me chamaram a atenção.

Em primeiro momento, vale lembrar que o filme retrata a amizade de dois garotos e uma garota que mais tarde serão separados pelos fatos eventuais da vida como crescimento, mudança entre outras questões. Norton é padre, Stiller vira Rabino e Jena Elfman vira uma workaholic. Porém, por um infortúnio do destino os dois se apaixonam por ela e num dado momento, os dois voltam a ser amigos depois de uma discussão tola e se abraçcam fraternalmente caminhando pela rua e fazendo o comentário: - E eu que achava que neste momento já entendia tudo sobre a vida! - Poxa, é uma excelente frase dita por gente clérica que muitas vezes parecem estar no controle da situação e são pegos de surpresa porquestões meramente humanas.

 

 

Em segundo lugar, quase que um momento irônico a parte, Stiller comenta que Elfman havia mexido no seu celular e deixado na lista de contatos o número de Deus. Ao conferir o número, atende do "Museu de Elvis Presley". Os dois se olham contendo uma risada nitidamente estanpado a paixão que os dois nutrem pela loira magrela.

 

Em terceiro, como em boa parte dos filmes onde o casal se arruina e alguém tem a chance corrigir o erro, Stiller procura Norton para comentar que queria estar ao lado da garota até então amiga, mesmo quye isso custe sua posição judaica na sinagoga. Depois de uns diálogos muito bem escritos frente a uma faixa de pedestres, o personagem de Norton diz: - Oras mas o que você está esperando? - A câmera notavelmente aponta para o semáforo de pedestres fechado pra eles. - Está esperando um sinal? É este o mal do humano, sempre esperando um sinal de que está aberto pra ele passar. Oras, corra, ouse, atravesse a espera do sinal e corra atrás do que quer.

Um excelente texto do roteirista Stuart Blumberg. Mas assumo aqui que o filme mais me ganhou por questões pessoais do que cinematográficas.

Cotação do filme: ***


Escrito por el cabrón de la pelicula às 20h40 [] [envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]