Cotações

    ***** = Obra-prima
    **** = Ótimo
    *** = Bom
    ** = Fraco
    * = Turkey

Outros sites

Histórico

Assine o RSS


O que é isto?

mentiras e verdades em 24 fotogramas ou 29 frames por segundo!

Lo Mejor del 2009

1 – Inimigos Públicos de Michael Mann – Mann é sempre um diretor que toma meus top 3 sempre que faz filmes. Difícil este ano escolher quem fica no pódium. Este merece. Filme que esperei e me valeu a pena.

 

 

2 – Gran Torino de Clint Eastwood– Este filme eu tinha colocado no top do ano passado, mas todo mundo pegou no meu pé, ele foi deste ano. Aí terei de puxar o próximo lugar pro top deste ano de forma repetida. Mas só não coloco o Clint no primeiro lugar, porque ele já tinha pego ano passado quando vi antes de janeiro.

 

 

3 – Deixa ela Entrar de Thomas Alfredson – Mais um filme que entrou na lista do ano passado e disseram, não vale ver filmes da mostra na sua lista. É meio que ético entre os amigos dizer os que foram lançados no calendário nacional. Ta bom. Coloco de novo então.

 

 

4 – Bastardos Inglórios do Tarantino – Filme que quase ameaçaria Inimigos públicos no primeiro lugar. Cinefilia pura, textos incríveis de um filme que praticamente é 90% sentado. A preguiça de ser cerebral num filme desse foi tanta que preferi deixar por conta do Marcelo Valletta diluir o filme em belíssimas palavras no blog dele. Quem não leu ainda, vale a pena.

Pena foi ter que colocar este em quarto porque trouxe dois do ano passado pra cá.

 

 

5 – Amantes de James Gray – Acho que a melhor definição deste filme li no twitter do Ruy Gardnier: “Ninguém jamais filmou alguém sufocado no seio familiar como Gray”. Filme grande e poderoso no seu romance melancólico.

 

 

6 – Up Altas aventuras de Pete Docter e Bob Peterson – Por que além de um belíssimo texto, animação de primeira categoria, uma carga dramática que desmonta e faria estátua de pedra chorar. Só perde pra Wall-e na minha opinião.

 

 

7 – No meu lugar de Eduardo Valente – Eu poderia citar mil motivos de ter amado este filme, mas se tem algo que me quebrou no meio, foi a filha e o pai brigando pela arma nas mãos, as mãos que querem jogar fora e as que não querem se desfazer, isso tudo a noite e na praia. Ali os dois atores foram profundos.

 

 

8 – Moscou de Eduardo Coutinho – Onde se atua um texto, pode-se levar um pouco de si. A medida que Coutinho some no filme, os personagens aparecem mais e nunca se sabe quando é texto ou quando é improviso. Mas eu abracei a idéia do que disseram. Coutinho mais uma vez vara os limites que nunca o seguraram.

 

 

9 – Adventureland de Greg Mottola – Que pra quem sai do escracho de Superbad e me apresenta um filme com tamanha imersão nos problemas de planos que fazemos pra nossa vida virar e não vira profissionalmente e afetivamente, é porque o cara deve ter colocado muito de si, tanto quanto Apatow coloca.

 

 

10 – Os Limites do controle de Jim Jarmusch – Esquecido pelas distribuidoras, este filme acaba sendo um noir meio mudo. E nem por isso deixa de ser tenso. Jarmusch sempre faz até da historinha mais vagabunda, uma bela historias pra se contar.

 

 

11 – Os Substitutos de Jonathan Mostow – Seiq eu J.J Abrahams fez de Star Trek um dos melhores de ação do ano, mas o Mostow me chamou milhões de vezes mais atenção com este filme. Este diretor inclusive tem me conquistado sempre mais em filmes de ação.

 

 

12 – Se beber não case – Todd Phillips também tem sempre lugar garantido comigo. Faz filmes corajosos no quesito putaria e situações que podem ir pra fora do controle. E vão mesmo. Destaque para o japinha mafioso, nu e gay que sai do porta-malas em uma cena que jamais esperava ver.

 

13 – Star Trek de J.J Abrahams – Sempre achei que Star Trek fosse uma franquia bem cósmica, bem Sci-Fi e não me entrava na cabeça que um diretor pudesse transformar isso em ação pura. Eu estava enganado.

 

14 – A ressurreição de Adam de Paul Schrader – Li nas dicas de filmes do blog do Carlão. Ao acabar de ver o filme, fiquei pasmo de como foi bom ver um filme tão bem dirigido e ver de novo um ator que muito gosto como Jeff Goldblum mandando ver.

 

15 – The Hurt Locker de Kathryn Bigelow – Esquedrão especial de desarmamento de bombas. Pontas sensacionais de Guy Pierce, David Morse e Ralph Fiennes e uma sequência em que o protagonista tira roupa especial pra desarmar um carro bomba! Apenas detalhes pra instigar aos amigos verem.

 

16 – Watchmen de Zack Snyder – Eu fui crente da vida que veria uma gigantesca catástrofe sobrenatural, mas vi um filme mediano onde sua essência plástica estava igual o gibi. Um detalhe ou outro não cumpriram bem, mas deixei passar, pois cagar numa obra dessa era muito fácil.

 

17 – Martyrs de Pascal Laugier – Mais um dos apelidados como pornografia da tortura que me fez passar um pouco mal, mas é total imersão no horror da servidão. Lindo ler a homenagem ao Dario Argento no final.

 

18 – Ponyo de Hayao Miyazaki – E já que falamos de imersão barra pesada, tem também uma imersão psicodélica da menininha do mar. Outro universo, coisas mais leves e este diretor não deixa de me impressionar a cada filme.

 

19 – Abraços Partidos de Pedro Almodóvar – Outro diretor que sigo na linha de que a cada filmes que faz, ganha mais meu respeito. Acho Volver incrível, porém, inferior aos outros 3 anteriores que estavam num patamar de excelente. De novo com um filme de cinefilia que me lembra filmes do Carlão, me acerta em cheio.

 

Agora mais 5 filmes que lembrei e não couberam no top 20. É bem capaz que venha inteirar estes que ficaram de fora , caso a memória ajude.

 

20 – Arrasta-me para o inferno de Sam Raimi

 

21 – Entre os muros da escola de Laurent Cantet

 

22 – Ano Um de Harold Ramis

 

23 – The Box de Richard Kelly

 

24 – Mother de Bong Jun Ho

 

25 – Doomsday de Neil Marshall

 

26 - 500 dias com ela de Marc Webb

 

27 - Eu te amo, cara! de John Hamburg

 

28 - Modelos nada corretos de David Wain

 

29 - Avatar de James Cameron

 

30 - Appaloosa de Ed Harris

 

 


Escrito por el cabrón de la pelicula às 09h55 [] [envie esta mensagem]

[ ver mensagens anteriores ]